Rodovia BR 465, Km 7 - ICHS, UFRRJ, Seropédica

A influência das festas juninas nas exportações brasileiras

As Festas de São João, popularmente conhecida como festas juninas, originou-se na Europa e foi trazida para o Brasil pelos portugueses durante o século XVI. A mesma é comemorada no mês de Junho, mas pode ou não ser estendida para Julho e até mesmo Agosto.

Inicialmente, a principal conotação dessa cerimônia era religiosa, isto é, celebrar os santos mais populares do mês de Junho: São João, Santo Antônio e São Pedro.

No entanto, com o passar do tempo, muitas práticas foram desenvolvidas e perpetuadas até os dias de hoje, fazendo com que, atualmente, as festas juninas se tornassem cada vez mais populares pelos seus símbolos; sendo eles: as comidas, as danças, a decoração, a fogueira, as brincadeiras e as vestimentas.

A culinária típica das festas juninas

Dentre as comidas e bebidas típicas das Festas Juninas temos a pipoca, canjica, pé-de-moleque, arroz-doce, cuscuz, tapioca, pinhão, pamonha, paçoca, cachorro-quente, curau, cocada, bolos, quentão, vinho quente, entre outros.

Aposto que você já experimentou ou ouviu falar em alguns desses pratos típicos de São João, não é mesmo? Todos esses elementos são responsáveis por compor o arraial, isto é, o modo como o ambiente da festa é popularmente chamado. É nele que se encontram as famosas “barracas de festa junina” decoradas com bandeirinhas e balões coloridos, onde você pode encontrar todos esses ítens e muito mais.

Sendo assim, é válido destacar que grande parte dos pratos típicos mencionados anteriormente possuem como principal base de preparação o milho e o amendoim; fazendo com que, consequentemente, o consumo desses produtos seja bem mais expressivo nos locais em que há a tradição de celebrar a festa.

Mas qual a influência das festas juninas para a exportação desses produtos? A principal atuação dessa data internacionalmente consiste no chamado “mercado da saudade”, que nada mais é do que a comercialização e exportação de produtos tipicamente brasileiros para aqueles que moram no exterior. Inclusive, já falamos dele por aqui e você pode conferir no post “Mercado da saudade: motivos para investir neste novo negócio”

Por ser uma festa cultural típica brasileira, muito daquilo que é tradicionalmente ofertado nos arraiais, desde a matéria prima para a culinária habitual até as peças para decoração e vestimentas, não são encontradas no exterior

No entanto, apesar de as festas juninas ocorrerem anualmente no Brasil, atualmente, muitos brasileiros perderam esse costume cultural de celebrar o São João e, por conta disso, possuem um acesso limitado aos produtos típicos dessa celebração.

Isso ocorre não só por conta das diferenças culturais existentes, como também devido a comercialização limitada de produtos brasileiros no exterior, dificultando o acesso dos imigrantes brasileiros às matérias primas da culinária junina.

Mas o que fazer com relação aos locais que não possuem o costume cultural de celebrar essa data comemorativa? Simples, a solução desse problema é a exportação!

Festa junina e a exportação

Por ser um costume tipicamente brasileiro, as festas juninas são extremamente populares no país, principalmente na região Nordeste em que as tradições são mais intensas.


Consequentemente, as atividades industriais voltadas à essa data se concentram nesses lugares que designam mais atenção a esse momento de festividade. Logo, 77% do movimento industrial nordestino é voltado para essa prática, seguido de 70% da região Centro-Oeste e 63% do Sudeste.

Como citado anteriormente, os produtos mais presentes nas celebrações de São João são aqueles feitos de amendoim, milho e cachaça. Sendo assim, no ano de 2021, o Brasil ocupou a 11°posição na produção de amendoim, o 3° lugar na produção de milho, além de ter sido um dos primeiros colocados com relação à produção de cachaça visto que a mesma é considerada uma das maiores referências do país exteriormente

Além disso, de modo geral, é válido mencionar que dentre os maiores importadores desses produtos no Brasil estão a China, a Espanha, o Irã, o México, Portugal e os Estados Unidos.

No caso da gastronomia junina, uma alternativa para os brasileiros imigrantes que desejam matar a vontade das comidas características dessa comemoração, é válido buscar produtos in natura que sirvam de base para as receitas, para que você mesmo possa fazê-las em casa.

No entanto, esse é um mercado muito próspero, visto que, ao aumentar a visibilidade e popularidade das festas juninas brasileiras, o consumo de seus produtos também aumentarão, fazendo com que, por exemplo, a exportação da paçoca alavanque.

Como exportar produtos típicos das festas juninas?

As Festas Juninas geram grandes oportunidades ao mercado nacional, visto que sua culinária típica é consumida pelos brasileiros durante o ano todo. No entanto, a comercialização desses produtos no exterior não é muito comum pois a fabricação dos mesmos não é tão popular.

Por isso, pode-se dizer que o marketing seria um grande aliado para o sucesso das exportações, uma vez que o mesmo auxilia a alcançar o mercado e o público de forma mais ampla além de auxiliar a ampliar as possibilidades de exportação para que as empresas possam inserir seus produtos no mercado internacional.

Desse modo, para que uma empresa possa exportar seus produtos, é preciso que a mesma conheça seu público alvo e saiba quais os países que mais consomem o mesmo para que, assim, possa alcançar o melhor e mais benéfico nicho potencial presente no mercado consumidor atual.

Sendo assim, a XPORT Jr. se torna essencial para a garantia da presença de seus produtos no exterior, uma vez que a mesma pode te auxiliar a conhecer mais sobre o mercado internacional para que, assim, eles possam se popularizar cada vez mais.

Para mais informações, basta entrar em contato conosco para que possamos buscar o melhor meio de solucionar seus problemas e cessar
suas dúvidas!

Compartilhe essa publicação:

Últimas publicações

Comentários

Iniciar conversa
Olá! 👋

Gostaria de realizar um orçamento sem compromisso?